jump to navigation

Proposta Indecente 13 março, 2013

Posted by acanuto in Aconteceu, Boas Práticas, Opinião, Uncategorized.
trackback

[Cliente x Advogado]: é com BASTANTE frequência que recebo “propostas indecentes” de pretensos contratantes de meus serviços de advocacia; ocorre que hoje recebi uma “bem peculiar” acerca de uma demanda na área do Direito Imobiliário.

Cliente: “Tenho um contrato com a construtora (…) é CAUSA CERTA GANHAR uns 10 a 12mil (…) MAS se você conseguir GANHAR ALGO POR FORA, como danos morais , etc, estou disposto a pagar 15% do que ganhar (…) So não tenho muito tempo, moro em boa viagem se você poder passar em minha casa pra bater um papo, ver o contrato (…) se você me garantir que ganha, fecho com você”.

Resumindo? O cliente já julgou a causa, já decidiu o quantum pelo Magistrado, já sabe que “É CERTO” ganhar, acha que eu tenho tempo pra ir na casa dos outros pra “bater papo”, “ver contrato” e trabalhar no risco de, SE GANHAR ALGO POR FORA, ele me paga 15%, e me contrata se eu GARANTIR que vou ganhar?

Pois bem, esse é o típico cliente que acha que qualquer advogado resolve, que pagar para o advogado é favor e que nós devemos trabalhar no risco, que sabe mais do que o advogado e os Magistrados (e até sabe até o valor da condenação), que quer um advogado trabalhando exclusivamente para dar um andamento extraordinariamente célere, e no final das contas ainda diz: “advogado ladrão, nem fez nada e ainda tive que pagar”.

Moral da história: CORRA(M) de clientes assim! Se o cliente não puder pagar, atue de graça, na mais nobre atuação da “advocacia pro bono”, que é sempre um ato nobre. Caso contrário, cobre sempre o preço justo, saiba valorizar seu trabalho e sua classe! Não quer pagar? Ok, próximo…

Anúncios

Comentários»

1. acanuto - 13 março, 2013

Caríssimo e estimado colega, este tipo de cliente é um perigo, e cliente assim nem entra lá no escritório, e se entrar, vai pagar a consulta para falar comigo. Outro tipo de cliente que é perigoso é o apressadinho, que acha que nós advogados, não damos a devida atenção ao processo ultra-super-mega-importante dele cliente, e que devemos fazer mais, mais, mais…., para que o tal causa super especial a nós confiada por este cliente tem que acabar em uma data certa. E como todos nós sabemos, os feitos judiciais só tem dia para começar. E no meio da insatisfação com a tramitação lenta do Poder Judiciário Brasileiro, o cliente quer lhe demitir, pede para você renunciar, sem pagar despesas processuais e honorários contratuais pendentes. Muito bem, tenho me defendido destes clientes com uma postura profissional ao extreme, com este tipo de cliente vale a regra do art.5, caput da Constituição Federal, ” Todos são iguais perante a Lei “, portanto, tenho cuidado de deixar muito bem delimitado os limites de minha atuação jurídica como advogado no contrato, a responsabilidade do Juízo, e a Responsabilidade do cliente, assim como, todas as atitudes que serão consideradas “Quebra de Confiança” passíveis de encerrar a atuação, e iniciar a imediata execução de contratos de honorários pedentes. Além disso, usado também a moral da história do colega Marcelo, ” O valor dos honorários é tanto ? Tá caro…, Fique à vontade para procurar outro advogado, pois o meu preço é esse. ( e ponto final ).

2. Evilasio Tenorio - 5 dezembro, 2013

De fato, Dr. Isso é uma coisa que, infelizmente, acaba sendo mais comum do que imaginamos. Pena que dificilmente a realidade mudará. Se banalizou a profissão, nos dias atuais. Quantos não são os bacharéis que se apresentam como advogados, cobrando honorários irrisórios?


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: